Também Tenho Blog

Manual de sobrevivência do primeiro viajante

Alô primeiro viajante! Esta semana uma amiga minha me mandou uma mensagem dizendo que estava embarcando pela primeira vez em uma viagem solo pela América do Sul, com orçamento apertado e uma mochila nas costas… principalmente pelo medo que ela demonstrou em encarar essa viagem eu resolvi criar um petit manual de sobrevivência do primeiro viajante. A mensagem dela foi a seguinte:

“tô aqui lendo teu blog. Tava pesquisando hostel, lendo 37282910 classificações, lembrei de tu e tuas escolhas de hostel que sempre rendem boas histórias… Todas as vzs que tive medo e pensei em desistir lembrei de várias pessoas que encaram aventuras por algum motivo muito pessoal, mas encaram. Lembrei de vc! Você também me inspira!” Emmanuela Melo, 2016

Que coisinha mais bonitinha! ♥ Me senti responsável por inspirar uma mãe de 2 crianças, que faz um salário durar 30 dias e que me manda áudio desesperada: “EU NÃO SABIA QUE EU PRECISAVA HABILITAR MEU CARTÃO DE CRÉDITO PRA VIAJAR!” hahaha então decidi escrever o meu manual de viajante alone in the dark pra ajudar quem quer que seja a perder esse medo e evitar pequenos acidentes de percurso! 🙂

  • Sim gente, habilitem o cartão de crédito na função internacional.

Numa emergência ele é muito útil! Eu nunca precisei, mas essa segurança que você tem um crédito ali guardado pra caso tudo dê merda te traz uma paz interior superior que ter um cartão de crédito e sair do duty free sem gastar nada 🙂 é só uma segurança mesmo porque evite usá-lo… sai bem caro no final. Porque cartão de crédito é sempre aquela sensação eterna de que não to vendo o dinheiro então vai passando, passando, passando e quando você vê, o rombo está feito. Viajante de primeira viagem tem que ir com dinheiro mesmo pra vê-lo acabando e saber controla-lo. Na minha última viagem eu tava sem meu cartão de crédito (faça o que eu digo mas não faça o que eu faço)  e eu quase fiquei no meio da rua porque mesmo com dinheiro o hotel pedia meu cartão de crédito pra fazer um calção no valor de USD$100, eu chorei e tive um teto… mas poderia ter dado muito errado, então abram o olho.

  • Trocar dinheiro/sacar

Taí uma modalidade que eu nunca aprendi direito. O câmbio muda todos os dias e fica difícil ficar acompanhando sempre né? Mas evite sempre trocar dinheiro no aeroporto, as taxas vão ser sempre mais caras mas se for o jeito, troca só o dinheirinho do táxi e o resto deixa pra trocar na cidade. Ou até melhor, vê no teu banco se eles não fazem troca de moeda.. por lei você pode viajar com até R$10.000 em espécie junto a você e as taxas que você paga no banco vale mais a pena que em casa de câmbio, sempre é bom comparar. Por exemplo:

Se você comprar R$ 1.000 em moeda estrangeira: em dinheiro vivo, o IOF será de R$ 11  (alíquota de 1,1%); no cartão de débito ou crédito ou no traveler cheque, o IOF é de 6,38% ou seja, R$ 63,80. (outro motivo pra evitar o cartão)

  • Seguro viagem

Importantíssimo! Eu lembro que quando eu fui pra Disney pela primeira vez, eu tinha uns 9 anos e um dos meus dentes estava pra cair. Meu pai, médico, não me deixou arrancar o dente lá por medo de infecção… naquela época nem sei se a gente tinha seguro saúde mas o desespero do meu pai de não querer arrancar meu dente tem fundamento.  Outra história foi do meu chefe que caiu de uma moto na Indonésia e se não tivesse seguro tava pagando a conta até hoje… quer outra história? Fui eu correndo no metro de Rennes, torci o pé e fiquei 15 dias com ele parecendo uma bola porque não tinha seguro viagem. Às vezes colega, o teu cartão de crédito te dá seguro viagem e tu nem sabe… então quando for habilitar o cartão, checa essa informação também! 🙂

  • Vistos e passaporte

Esse é tão básico mas sim, já aconteceu comigo. Eu estava no aeroporto pra viajar com meu pai e simplesmente me dei conta que meu passaporte estava VENCIDO. A cena da cara do meu pai embarcando puto da vida comigo é algo que não me saiu da cabeça nunca mais hahaha que vacilo… perdi uma viagem boca livre pra Disney por irresponsabilidade básica… então gente, chequem o passaporte antes mesmo de comprar uma passagem pois às vezes pra renová-lo demora muito. E vistos, importantíssimo… se não, você bate com a cara na porta. Pra saber quais países exigem visto para brasileiro, clica aqui. Ah, nesse tópico também entra a questão de segurança do passaporte: please, keep it coladinho a você. Não é exagero carregar o passaporte numa doleira, ele deve ser até mais importante que o seu cartão de crédito… Você não tem noção do quanto é uma dor de pedra nos rins ter que ir atrás de um novo passaporte novo fora do território brasileiro (porque sem passaporte amor, lá fora você não será ninguém). Ah, sempre bom ter uma cópia de todos os documentos salvos no seu email.

  • Celular com conexão internet

Não precisa ser 3G, só tenha um smartphone em mãos… é uma mão na roda (acho que isso é muito difícil uma pessoa não ter né?). Em vários lugares você pode achar uma internet wifi e resolver a vida. Certa vez na minha primeira viagem solo pela Itália, a caminho de Roma, eu recebi um email do hotel dizendo que minha reserva tinha sido cancelada, no dia seguinte eu iria pegar meu vôo pro Brasil e não queria dormir no aeroporto (aliás, fujam dessa possibilidade sempre) no trem mesmo eu entrei no booking.com e reservei outro hotel, mais barato e mais perto do aeroporto, tudo certo, sem pantim… cheguei em Roma sem desespero e a mulher do hotel ainda me levou no aeroporto de madrugada 🙂 Outro exemplo? A Ryanair (companhia de low cost) agora está cobrando quem não faz o check in online, se você faz no guichê eles te cobram.. absurdo? sim, mas c’est la vie. E jamais use o sua internet brasileira lá fora, dá pra comprar chip pré-pago baratinho no destino ou usar a sim4you, usei na California e não tive nenhum problema, o chip chega na sua casa no Brasil antes de você embarcar.

  • Nunca durmam no aeroporto

Aproveitandoo gancho né? Eu já fiz isso… e velho, você fica acabado e dependendo pra onde você ta indo, você vai destruir toda a sua viagem com sono acumulado. Não façam isso, se você tem dinheiro vá um hostelzinho barato ao menos. Dormir no aeroporto só em último caso. Mas por que? Porque simplesmente você não dorme! Dormir no chão está longe de ser confortável e se você tá com todas as malas elas podem ser facilmente roubadas e se você está no 10º sono então… você fica naquele estado de alerta o tempo todo 🙁 Em Dublin quando cancelaram meu Hostel (de novo) e meu vôo saia às 4h da manhã eu decidi experimentar a façanha… além todos os problemas de desconforto e preocupações com as malas, o aeroporto estava LOTADO de pessoas dormindo pelos cantos. Todos os prováveis lugares que eu poderia me encostar pra cochilar já estavam ocupados e eu fui dormir onde? NO BANHEIRO hahahaha sim amigos, a gente passa por essas quando se aventura por aí.

  • Bagagem de mão é mais importante que bagagem embarcada

Porque é vai tudo ali pertinho de você e todas as coisas importantes a gente não deixa as pessoas “tomarem conta né?” outro detalhe é: você pode ter problemas no embarque. Essa mesma amiga que me mandou mensagem disse que perdeu o creme de cabelo de R$25 porque o pote tinha 120ml. Isso é tão básico que eu nem me dei conta de avisá-la, tadinha… mas gente, depois do 11 de setembro, tudo mudou e continua valendo. Líquidos só abaixo de 90ml para voos internacionais e eles tem que caber num saquinho plástico lacrado, beleza? Nada pontudo, óbvio. E as vestimentas pra evitar bloquear a fila: evite saltos plataforma (porque você tem que tirá-los sempre) ou botas cano alto. Cinto não vou dizer pra você não usar porque vai que as calça cai, mas qualquer outra roupa que tenha detalhes em metais, evita tá querida? A fila agradece! E você também, se tiver correndo pra pegar um vôo imagina só ter que tirar tuuuuudo e tendo apenas alguns minutos antes do portão fechar?

  • A imigração não é um bicho de 7 cabeças.

Aquelas histórias que você vai ser interrogada até a alma, existe… mas calma elas não são frequentes. Elas acontecem muito mais quando você ta indo pra Inglaterra ou Estados Unidos. Na inglaterra o cara me fez mostrar o contrato de aluguel do meu apartamento em Paris, nos Estados Unidos o cara me disse que eu já tinha idade pra ser mãe e que esperava que eu não estivesse entrando no país pra ter um filho lá hahaha amooooooooor, só me deixa entrar tá? quero ficar não, obrigada.  mas não com um filho! Então aquele papo de que é importante ter noções boas de inglês, vale pra alfândega também mas se você não tiver, leva uma porra de documento que prove que você não tem o menor interesse em ficar e ta tudo certo. Na América do Sul a gente sempre se vira no portunhol né?  tranquilo, e na Europa, relaxa… na França não vão te perguntar nada ou quase nada e Portugal idem, mas Portugal tu desenrola que eu sei 🙂

  • Existem outras companhias aéreas além das tradicionais (Lufthansa, Iberia, TAP…)

Infelizmente não é popular no Brasil mas lá fora existem companhias que te cobram cerca de 40€ num vôo ida/volta. Tudo bem que o vôo inteiro parece uma rodoviária, a coitada da aeromoça não para de te oferecer coisas pra comprar e que a maioria dos aeroportos que oferecem esses preços ficam em locais afastados de grandes centros… mas mesmo assim vale a pena. Então se ta pensando em fazer um mini mochilão pela Europa, pesquise companhias como Ryanair, Vueling, Germanwings, easyjet etc 🙂 ah e lembrando que: mesmo se você tá viajando em uma das empresas tradicionais, não significa que os lanchinhos são de graça tá? Nos Estados Unidos grande parte dos lanches são pagos a parte, é sempre bom perguntar antes de pedir aquele sandubão pra aeromoça.

  • Conexões

Pegando o gancho, conexões sempre são um saco. Mas quando tiver comprando a passagem atente-se pra ver se o seu vôo tem conexões, onde elas são, por quanto tempo e principalmente se você precisa mudar de aeroporto. Eu já peguei uma conexão em Washigton de 5h o que me fez ir da uma voltinha na cidade, o aeroporto era longe mas era domingo então eu me arrisquei e deu tudo certo, mas analise bem as condições de trânsito e distância caso não queria mofar no aeroporto… se você tiver que mudar de aeroporto pra pegar outro vôo (isso é raro acontecer, mas acontece) veja se o intervalo entre os vôos é superior a 3h e nunca em hipótese alguma saia do aeroporto se esse intervalo foi menor de 3h, se você ta viajando pela primeira vez a probabilidade de isso dar em merda é grande, bjos.

  • Imprima ou anote num papel o caminho do aeroporto para onde você vai se hospedar

Isso, imprima mesmo o mapinha se for o caso. Eu sempre uso meu celular pra consultar o googlemaps mas a gente sabe que a tecnologia pode ser traiçoeira né? você pode ficar sem bateria, o googlemaps pode não carregar, sua internet não funcionar ou qualquer outra coisa. Sem falar que é mais simples mostrar um pedaço de papel pra um taxista do que um celular. Então sempre vá no estilo old times pedir informação. Uma vez eu fui pedir informação a um taxista e mostrei meu celular pra ele entender onde eu queria chegar, o cara fingiu que queria correr com meu celularzinho e eu quase tive um ataque cardiáco, depois desse dia… PAPELZINHO.

  • Hospedagem

Como escolher não é mesmo? Eu vou pelo wifi gratuito mesmo hahahah brincadeira. Hoje eu to mais seletiva, porque antes eu ia pelo preço 🙁 Mas é sempre bom ler as avaliações dos outros usuários, principalmente as negativas porque você pode avaliar se aquilo também poderia ser um incômodo pra você.  Eu sempre procuro hostels com locker onde eu possa sair e deixar minhas coisas seguras e principalmente que tenham tomadas do lado da minha cama porque a noite que eu passei em Londres com o celular carregando na porta do quarto, parecia uma mãe vigiando um filho que dormia com febre… acordando a todo momento pra verificar se ele ainda estava entre nós. E se você vai ficar num hotel mesmo, tranca a porta antes de dormir com aquelas fechaduras manuais tá? a gente nunca sabe quem tem a chave do seu quarto. No marrocos roubaram toda a minha mochila num hotel 5 estrelas… acontece, então todo cuidado é pouco.

Como todo lição de vida a gente só aprende praticando mas é sempre bom escutar dos outros histórias e situações que te ajudam a ter um jogo de cintura, nossa muito importante ter jogo de cintura e bom humor porque merdas acontece e elas servem pra abudar a vida ♥

Bônus

Nunca pergunte pra quem viaja muito “quanto eu preciso pra viajar pra tal lugar?” Você não tem ideia o quanto de DEPENDES essa resposta irá conter… mas isso é assunto pra outro post!  Eu acho que é isso galeras, se eu esqueci de algo ou se vocês tem dúvidas, comenta aí que a gente desenrola!

Assine a nossa newsletter

Recebe aí as novidades no teu email e ajuda o blog a crescer

Não irei dar, trocar ou vender o seu endereço de e-mail, ta? É confidencial, prometo!

No Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: