Também Tenho Blog

Coração ta cheio

15 coisas que aprendi em 2016

2016 foi um ano dificinho pra todo mundo e pela primeira vez eu me senti incluída na onda de countdown pra que esse ano acabe logo por JÁ DEU. Como tudo que é difícil na vida a gente nunca perde, sempre aprende queria registrar aqui esses ensinamentos porque por mais que eu aprenda, a gente tem que escrever e deixar registrado…

Sobre ser/estar sozinha

Agora mesmo, eu estou sentada sozinha em um café em Budapeste. Eu não sei o nome deste lugar nem o que eu pedi para beber, exceto pelo garçom que acenou todo animado quando eu apontei pra alguma coisa no meio do cardápio, deve ser algo gostoso. Eu não tenho planos concretos para o resto do dia, ou, na verdade, para…

Um alô da Escócia

Primeiramente, oi gente. Eu ando muito sumida desse blog mas deixa eu contar… Apesar nas inúmeras viagens e parecer sempre feliz em todas elas eu andava muito deprimida. Perdi 7kg, tomei calmantes e remédios pra dormir 🙁 eu não sabia o que estava acontecendo comigo, a solidão que eu sentia era um desconfortável som surdo que preenchia meus dias. Eu…

Até quando terei que me despedir das pessoas?

Essa foi uma frase que eu disse aos prantos pra uma amiga que estava do outro lado do oceano escutando meus 120 áudios do whatsapp. É muito difícil se despedir de alguém e mesmo que essa pessoa não necessariamente morra, no meu caso, eu sei que muita gente que conheci nessa vida eu provavelmente nunca mais irei ver novamente. De certa…

O (meu) lado B de quem mora fora

Um curiosidade universal: como foi que eu criei coragem para morar fora. A verdade universal: Não sabendo que seria tão difícil, foi lá e fez. Essa semana eu recebi uma mensagem: “adoro suas postagens, você vive uma vida de novela”. Muita gente fantasia demais quando descobrem que eu moro em Paris, juram que eu vivo um sonho (sim, às vezes…

Viajando sozinha

Quando comecei a viajar sozinha não tinha em mente que seria perigoso, não tinha em mente que “meninas não faziam isso sozinhas” nem nunca passou pela minha cabeça que seria menos divertido estando só. Na verdade eu comecei a viajar sozinha por falta de opção mesmo… poucos pais no começo dos anos 2000 deixavam uma adolescente de 14 anos pegar…